segunda-feira, 31 de outubro de 2011

KROMBAK

Duas cabeças, duas mentes, duas personalidades e um coração. Krombak era um majestoso dragão negro, nascido das chamas infernais através da ação de um anjo que sacrificou sua vida para dar alma à criatura que julgava merecer existir para os desígnios de Deus.
Um lado de Krombak era pura maldade. Outro lado era bondade. Não havia discordância entre eles, afinal, sabiam que ambos eram apenas um e que a morte do outro significaria a morte do corpo. Apesar de essências diferentes, viviam em harmonia.
A fera vivia em clausura, aprisionada por um bruxo maligno, o qual buscava a todo custo corromper o lado bom de Krombak. O objetivo do feiticeiro era usar a magia negra do dragão para aniquilar a bondade na Terra, tornando-a um lugar de domínio das trevas.
Após séculos aprimorando a poção, Zabrax - o bruxo, finalmente havia conseguido. Adentrou a fria masmorra para destruir a luz branca que constituía uma parte do dragão. Iniciado o feitiço, demônios voavam no ambiente, riam do lado bom que, sereno, apenas aguardava. Chamas negras se erguiam cada vez mais e envolviam somente a parte benigna da fera. O feiticeiro finalmente conseguiria dominar a Terra, se, o lado demoníaco de Krombak não se revoltasse, destruísse as correntes e devorasse o bruxo.
Os demônios fugiram, havia muita bondade para ser suportada e demasiado mau para ser controlado. Krombak estava livre! Livre para atuar, ser bom, ser mau, ser imparcial...
Ser como nós.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

OS SOFISTAS

A história nos presenteou com a filosofia. Celebridades como Aristóteles deixaram marcas profundas, continuidade de seu mestre Platão, discípulo de ninguém mais que o pai da filosofia: Sócrates. Este tem uma passagem que amo! Sócrates andava pelas ruas instigando as pessoas a pensarem, questionava “o quê?”, “para quê” e “por quê”. Abordava uma pessoa e perguntava, por exemplo, se ela era feliz. Após uma resposta positiva, o filósofo indagava à pessoa o que era felicidade e, após muito questionar os posicionamentos da pessoa, a mesma chegava à conclusão que realmente não sabia o que era a tal felicidade. O hilário desta história é que, quando o indivíduo se dava conta que não sabia, perguntava para Sócrates o que era e ele muito sabiamente respondia: Não sei, por isso estou perguntando! O pai da filosofia não pretendia ser sarcástico, apenas tentava tornar as pessoas seres mais pensantes.
Poucos são os registros sobre os sofistas. Foram “filósofos” que deixaram poucas marcas para que pudessem ser estudados criteriosamente. Sabe-se que tinham um dom. Os sofistas possuíam o dom de imputar pensamentos, opiniões e o que fosse preciso na mente de uma pessoa, faziam um ser acreditar que o certo era errado, que o errado era certo, que a “pedra não era uma pedra”. Acredito que podemos chamar tal técnica de manipulação. Tudo em nome de um bem maior: A moeda corrente.
Se trouxermos o contexto para os dias atuais, podemos constatar que muitos aplicam a técnica em várias situações, com o mesmo objetivo: Dinheiro! Manipulam as pessoas, imputam opiniões, ideias, fazem o mal parecer correto e o que seria bom, algo não tão ruim através de outro ponto de vista.

Sei que parece haver uma dramatização no parágrafo anterior, afinal, quem seria tão vulnerável ao ponto de não ter opinião própria? Seria um ser sem personalidade, manipulável como um fantoche? Acreditem, diariamente as pessoas atribuem conceitos ao outro com intuitos excusos ou simplesmente por que este é o seu mecanismo de funcionamento (dissimulado). De qualquer maneira, por um motivo ou outro, devemos nos atentar a isso, devemos ter filtros sofisticados para a identificação do sofista contemporâneo ou fazer uso dos tradicionais:

"O QUÊ?"   "PARA QUÊ"   E   "POR QUÊ?"

Ser você em tempo integral, em essência: Vital.


quarta-feira, 19 de outubro de 2011

O POESIA

"O POESIA" foi escrito por mim em 2004, em um momento iluminado onde consegui transcrever minha oração em forma de poesia:

...

Me sinto tão estranho, há um vazio dentro de mim
Me sinto de um lindo rebanho, o esquecido... lá no fim
Resolvi escrever pra alguém especial, contar como me sentia
Isso sempre me tira o mal, faz a treva virar dia....

É incrível como me faz bem, inexplicável poesia
Como se uma força do além, me curasse com magia
O prata vira dourado, o ar se torna vento
Tudo num simples traçado, que escrevo neste momento

Flutuo nas palavras, sinto a paz me dominar
Tiram-me as chagas, o vento que fora ar
Despreocupado que me leve, me entrego sem repressão
Já mais claro vejo a neve, que gelava meu coração

Com tanta luz a iluminar, olho o que me afligia
Eu em outro patamar, vejo o que eu não queria
Também vejo lá no fundo, algo à flores desabrochar
E tão grande como o mundo, passará a neve pra me alcançar

Este algo "esquisito", descobri o que seria
Ele é grandioso e bonito, e vai chegar um dia
Sei que a neve derreterá, quando Ele me disser: Sorria!
A partir de então serei feliz... Obrigado, POESIA!

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

SEMENTES

Um dia pode ser iluminado, colorido, com brisa, onde há movimento: Dos pássaros, do cão que anda sem destino nas ruas, dos pequenos arbustos ou das grandes árvores por ordem dos ventos.
Ou... Um dia pode ser frio, monocromático, sem vida. Daqueles dias onde o movimento do corpo é comandado simplesmente pelo automático, onde não temos permissão para notar um mundo ao nosso redor.
Somos sementes. Somos o que plantamos, mas também somos as sementes que plantam em nós, somos a felicidade, a euforia, o sexo, a vontade, a luz, OU, a tristeza, o caos, a tormenta, a angústia, a depressão, a morte...
Devemos ser sábios na escolha daqueles que regam nosso jardim, que cuidam de nossas flores, que semeiam diariamente nossas terras.

Plantemos o melhor de nós e que o Senhor nos abençoe com sua Luz, permitindo que tenhamos as mais belas flores e colhamos os mais deleitosos frutos.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

CAUSO: FILA, FILHA DA GREVE

Afinal de contas, por que os bancos estão em greve? Se depender da divulgação da causa, já perderam, pois até agora não ouvi falar nada, apenas fui surpreso pelas muitas placas pregadas nas portas do bancos:

As reportagens sensacionalizam os prejuízos à população, geralmente mostram uma pessoa simples, amargurando o fato de não conseguir pagar a 16ª parcela do carro, feita em 60 vezes... Ou ainda um senhor que não sabe usar o caixa eletrônico, que aliás, por favor hein... Até os caixas eletrônicos da minha cidade estão em greve, eles deixam a mensagem: “Terminal em manutenção, procure a agência mais próxima.”. Neste momento não tem como deixar de questionar: Se faço um depósito no caixa eletrônico, quem contabiliza e lança o dinheiro se estão todos em greve?
Bom, pensando nos débitos automáticos da vida, resolvi ir até a lotérica para fazer um depósito na conta da Caixa e, sem surpresa, lá estava... A enorme fila, resultado da greve! Como não havia muito que fazer, já que greve não seria nada original, enfrentei a filha, digo, a fila.
Impossível seria não reparar nas figuras presentes, afinal, ia fazer o que, jogar sudoku? Na minha frente havia dois rapazes falando sobre o quanto eles não valiam nada nas ruas e ainda conseguiam ser bons profissionais... Registrei uma foto mental deles, em algum momento posso precisar do serviço! Seja qual for...
Tentando não ouvir a conversa dos dois, meio impossível já que falavam muito alto, voltei-me para frente e... SURPRESA! Vi o Cebolinha. Tá, não era o Cebolinha, era apenas uma verruga na nuca do rapaz com cinco fios simétricos...
Olho para a rua para tentar mudar de foco e vejo uma senhora passando e gritando “Ela adorou o carrinho, viu! Não vai precisar trocar! Ela adorou o carrinho!”. Muitas perguntas ficaram me perturbando: 1) Para quem aquela senhora gritava que dobrou a esquina e não alcançou ninguém? 2) Que menina ganharia um carrinho e “adoraria”? 3) Seria resultado de insanidade temporária devido à greve bancária...?
Mas, para finalizar com chave de ouro o “causo” de hoje, a melhor de todas as erratas foi quando uma senhora entrou na fila e um rapaz, muito simpático e apontando para o Caixa Preferencial, disse a ela: “Senhora, aquele caixa é de idosos”. E a senhora lhe responde irritada e em tom alto: “Eu não sou velha!”. Silêncio total! (Até dos dois que não valiam nada).
Constrangedor para ele, mas eu gargalhei por dentro! Ahuahuahuahuahua.
Causos da fila... Filha da greve.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

A AÇÃO DE CADA DIA NOS DAI HOJE

Como é avassalador constatar que neste mundo em que vivemos a lei da ação e reação é mais que pregada, em um mau sentido.
Acredito que as pessoas deveriam fazer o bem sem olhar a quem! Mas... O que vemos são pessoas de muita ação quando lhes convém, aliás, há tanto empenho em saber manipular o jogo da vida que chego a me questionar se é a arte que imita a vida ou se é a vida que imita a arte! Existem tantas “Nazarés” por ai, em meio à multidão, prontas para empurrar mais um escada abaixo, se necessário.

Infelizmente não tem como descobrirmos quem é quem, são como os fictícios vampiros, estão em meio ao povo, camuflados entre as pessoas de bem, às vezes sugando-as devagarinho, pouco a pouco, sem que o indivíduo note, apenas esperando o momento certo para lhe secar o sangue.

Vamos casar o jargão popular “Que vantagem Maria leva?” com o ditado “Erva ruim geada não mata”. Pronto: “Estamos fodidos e mal pagos!”, afinal, vamos combinar que estes nem merecem viver tanto?! Sinto muito a quem discorde, mas essas pessoas vivem em função de perseguir e invejar a conquista alheia! Pergunto: para quê??  Porque deseja uma “vida melhor”, status?
E... Indago:
O que levarás desta terra?
Qual teu odor quando estiveres em estado de putrefação?
Consideras importante que muitas pessoas orem para ti neste momento?
Enfim, que ação de cada dia nos dê hoje. Amém!

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Homofobia

Gostaria de, como de costume, escrever e descrever o quanto foi prazeroso trabalhar com os alunos do 9º ano que decidiram e idealizaram a produção de um "comercial" contra a homofobia. No entanto, não quero que o brilho deste projeto seja ofuscado, de qualquer forma. Que seja exclusivo, pois merece! Segue o trabalho para apreciação, ainda em fase de construção:

video

terça-feira, 4 de outubro de 2011

EDUCAÇÃO - ESCOLA x PAIS

Vivemos em um mundo onde mal temos tempo de ter tempo! Quem consegue sair de casa hoje com antecedência para ir ao trabalho? Quem consegue fazer as refeições saudavelmente em seu lar? “Correria, correria, correria”. 
Logo, por conveniência ou praticidade, terceirizamos tudo!

As crianças, por sua vez, vivem seu momento, sua fase! E é assim que tem de ser... Momento experimentação, fase vivência e descobertas... 
Mas e a educação dessas crianças, a quem cabe? Observo que há uma discordância entre o que deve ser e o que é feito, entre pais e professores. Os professores acreditam que o trabalho deles é alfabetizar e, como seria impossível não fazer, transferir alguns valores e princípios de si... Os pais desejam mais, tenho a impressão que anseiam a educação para uma vida a seus filhos. Por falta do dito “tempo”?
Professores antigamente eram muito bem remunerados. “Quando crescer, quero ser médico, advogado ou professor”, santo tempo! Nessa época, os pais tinham o professor como mestre e pelo título, era considerado e respeitado. Atualmente, os professores recebem menos do que merecem, não tem condições dignas (espaço fisco e material) de trabalho, não tem, na maior parte das vezes, apoio dos pais, logo, mal tem o respeito dos filhos, seus alunos.
Já pararam para avaliar a vida de um educador? Existe um conteúdo programático a ser desenvolvido e entregue à escola. Além disso, ele prepara as aulas em sua casa, passa horas em pé repassando às crianças, atendendo-as, cada uma em sua singularidade, tempo e dificuldade. Prepara avaliações, projetos, provas de recuperação e as corrige, comumente, aos fins-de-semana, enquanto a maior parte da comunidade escolar descansa. Além de tudo isso, ainda querem incumbir ao mestre (dos magos?) a tarefa de ensinar a respeitar ao próximo, ser bom aluno, bom filho, bom neto... As exigências nas escolas estão cada vez maiores para que os professores assumam essa responsabilidade, mas, quando em necessidade extrema o professor assume a função dos pais e toma alguma atitude, se for desaprovado pelos pais... “Quem esse professor pensa que é para censurar meu filho?”.
Pais exigem que seus filhos sejam “100%” educados, mas de acordo com suas ideologias.
Falta. Falta compreensão para a complexidade que é o desenvolvimento da vida da criança, em sua maior parte pelos pais. Realmente não existe como dissociar os ensinamentos, pois professores, como disse anteriormente, vão repassar seus princípios aos alunos e é essa a contribuição que ele pode dar. Aos pais, resta moldá-los com seus próprios valores e cultura, respeitando sempre o mestre, que nunca existiu para subtrair, mas para somar.
“Educação é aquilo que a maior parte das pessoas recebe, muitos transmitem e poucos possuem.”

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

TEMPO, O RELATIVO...

Idade cronológica, idade física, idade mental... Que idade as pessoas tem afinal? Teria como fazer um máximo divisor comum e chegar a uma conclusão? Ter quarenta anos de idade, aparência de trinta e sentir-se com vinte, é normal?

Este fim-de-semana foi aniversário de um amigo que serviu o exército comigo, há doze anos. Completando trinta e um anos de idade, ele comentou que não sentia ter a idade que estava completando. Fato! Se analisarmos que a expectativa de vida aumentou e que a qualidade de vida, hoje, é outra... Sim, somos jovens por mais tempo! Jovens física e mentalmente.
Até pouco tempo atrás, década de 60 ou 70, as pessoas casavam-se aos dezesseis, dezoito anos de idade e constituíam família... Acho que faziam isso porque a expectativa de vida não passava dos sessenta anos de idade. Vamos combinar, uma vida relativamente curta (e chata!). Atualmente, com este aumento na expectativa de vida, jovens na faixa etária citada estão estudando, viajando e projetando casamentos para a casa dos trinta anos, pois esperam “aproveitar a vida” e estarem estabilizados financeiramente.
A globalização, a internet... Tudo subsidia para que as pessoas tenham essa melhor qualidade de vida...
Há muito de bom na questão debatida. Vivemos mais e melhor! No entanto, e este é o “X” da questão, existem pessoas que se escravizaram para evitar o envelhecimento físico, não aceitam a idade que tem e se recusam a responder a simples pergunta: "Quantos anos você tem?" Há quem minta tanto que passa a acreditar na própria mentira. Isso é perigoso.
Em minha opinião a idade cronológica é a que menos importa. Existem pessoas que são jovens, na casa dos vinte, mas são frias, pobres de espírito, mesquinhas... De espírito tão velho e retrocedido que são impedidas de ver o melhor da vida!
Mas... Existem aqueles que, na casa dos setenta, são ativos, fazem tudo o que lhes é possível fazer, amam (e se amam, principalmente) e respeitam o próximo... Serão eternamente jovens, por dentro!
Não existe idade cronológica. Existe aceitar-se ou não e um determinado modo de sentir a vida. O tempo é relativo, nunca é tarde para começar algo. Para os que sentem a vida, o tarde só existe morto.