segunda-feira, 19 de maio de 2014

COISAS DO CORAÇÃO

O problema de ter sido trocado por outra pessoa uma vez, certamente, é que ficam cicatrizes profundas no coração. Por experiência própria.
Você doa-se de corpo e alma, entrega sua vida, esperanças, planos e futuro e, quando menos espera, alguém mais jovem aparece e promete tudo o que você já havia entregue. O indignante é ser trocado por promessas!
Mas por que levantar um assunto morto e enterrado? Porque depois de anos o coração solicita atenção, carinho e novas esperanças... E após anos e anos encontra alguém disposto a te completar, te preencher, te renovar, te amar...
Mas e ae, coração? Aceita e se joga ou vai ficar com esse sentimento de “e se eu abrir minha ferida?”.

“E quem um dia irá dizer que existe razão pras coisas feitas pelo coração?”

Não é justo sermos privados de felicidade plena por um passado infeliz. Não é justo desconfiar de outra pessoa por um erro que não foi seu. Mas são sentimentos.
Certa vez, em momento desilusão, afirmei: Seria tão bom se não existissem sentimentos! Bastava escolher alguém e passar o resto da vida, sem ciúmes, sem o medo de perder, afinal, não haveria razão para ser trocado. No entanto, seria um mundo sem paixão, sem amor, sem tesão, sem carinho, sem saudade... Compensaria?
E se pudéssemos apagar o passado? Seria bom esquecer algumas coisas... Mas e a experiência adquirida? Seria válido esquecê-la também a troco de conforto? Os riscos de se errar novamente e sofrer da mesma forma seriam gigantes! A partir disso podemos dizer que seria um círculo vicioso sem fim, “Erra, sofre, aprende, apaga... Erra, sofre, aprende, apaga...”.

“E quem um dia irá dizer, que existe razão?”

O coração grita "seja feliz!". A razão diz "cuidado, já sofreu demais uma vez...". E, dentro deste conflito, fica uma confusão até... Até um par de olhos olharem aos teus e uma boca sorrindo te dizer "te amo".
Às favas passado! Às favas razão! Vou me entregar, vou tentar uma, duas, três... Mil vezes se necessário! Vou correr o risco de sofrer pelo erro novamente, mas não sofrerei por não ter dado mais uma chance para a felicidade...

Que assim seja.

Um comentário:

  1. à favas o passado ... o hoje está aí ... bora viver amigo ... sem neuras ...

    ResponderExcluir